Ciclos viciosos

Notadamente, vivemos em ciclos perversos de dramas obsessivos, doenças, manias e dependências (de pessoas, coisas, mundo exterior). Estamos cegos literalmente. A cegueira tanto pode ser nossa quanto induzida por um encarnado ou desencarnado (mormente em processos obsessivos). Por isso, entendemos o que Jesus quis dizer com “ cegos conduzindo cegos: ambos cairão no abismo”.

84487629

Como reconhecer a nossa cegueira espiritual? Mais uma vez, recorremos às comparações de Jesus: reconhece-se a árvore pelos seus frutos. Internamente, vivenciamos problemas dos mais variados gêneros e eles são diretamente relacionados à ambição, desejo de poder, domínio, egoísmo, orgulho,cupidez, avareza, ganância… A nossa estrada que deveria ser de flores torna-se uma estrada cheia de obstáculos e perigos que nos espreitam os menores passos.

88376712

Na sociedade ocidental, a doença é a maior indústria do mundo, é aquela que promove e gera mais riqueza, esta riqueza, é em parte usufruída por uns poucos milhares de pessoas, e a outra parte é investida de forma consecutiva na criação de novos “remédios” que venham atenuar os efeitos e os estragos que o remédio anterior provocou nos nossos corpos, e continuar a alimentar obviamente o sistema desta indústria. Outras das situações que geramos por desarmonia emocional é a necessidade compulsiva de aquisição de coisas, de toda a ordem e feitio, de Ter em vez de SER, o que nos dá temporariamente e de forma ilusória, a sensação de segurança e de poder. Porém, hoje em dia, como já é difícil SER alguém e, principalmente, TER alguma coisa, as pessoas estão preocupadas em PARECER. Parece que sei dençar, parece que sei reconhecer a verdade, parece que sou feliz. Quanta insanidade!

leapÉ a hora de dar o salto de mudança. O salto exige reconhecimento das forças, mas principalmente, reconhecimento das nossas limitações. Muitas vezes precisamos de novos ares mas desconhecemos o mares que queremos entrar. E aí, surgem dificuldades novas e desconhecidas, com o que não contávamos. E, para ultrapassar essa pequena mas importante fase, alguns requisitos necessários:

Cultivar a Saúde através dos pensamentos, palavras e ações

Promover a Paz

Amar sem apego e de forma incondicional

Sentir a integração em tudo que nos rodeia

Amar o próximo (realmente) como a Ti mesmo
(mas só consegues amar o próximo se te amares a ti mesmo)

Reaprender a Simplicidade em todas as facetas da nossa vida

Tudo aquilo que precisamos, a Terra tem abundância para todos, assim cada um encontre em si mesmo o sentido de justiça, de compartilhamento e de unicidade.

Para ilustrar um pouco mais essa história, vamos observar como os problemas e as nossas cruzes podem ser vistas. Mudar o ponto de vista é um fator crítico de sucesso na nossa empreitada diária chamada vida. É preciso entender como as dificuldades trazem sempre um novo tipo de aprendizagem. Podem acreditar: não existe um mal que não seja aproveitado. Todo o mal redundará num bem. O nosso destino é descobrir o Divino dentro de nós. Onde vive o Divino, a doença e o mal não mais se aproximam, apenas a bem-aventurança se manifesta em nós e no próximo.

324_3138-01324_3139-02324_3139-03324_3139-05
324_3139-04324_3139-06324_3140-09324_3140-10
324_3139-07324_3139-08324_3140-09324_3140-13
324_3141-14

4 Respostas

  1. E vovó já dizia há males que vem para o bem.

    As vezes, no calor do momento não conseguimos perceber o aprendizado, mas com o passar do tempo e autoanalise veremos que de um momento ruim podemos sim aprender algo que irá nos ajudar por toda uma vida.

    Há pessoas que após terem uma doença grave passam por uma reforma intima. Creio que a reforma seja na verdade a cura da alma, pois se somos o que pensamos, com bons pensamentos só teremos boas vibrações.

    Por outro lado, há aqueles que nada aprendem, e se tornam mais mesquinhos e egoísta. E vivem um circulo vicioso: sou infeliz porque sou doente, sou doente porque sou infeliz.

    Todavia, é a esses que devemos dar mais amor, para que através desse amor, quem sabe um dia não, dispertem para verdade.

    Parabéns, Marconi pelo excelente texto.
    Amei as tirinhas.

    Abraços.

    Monica

    • Na época de Francisco de Assis, 2 monges do grupo dele foram visitar um leprosário. Chegando lá, ficaram ouvindo xingamentos de um dos leprosos (na verdade, este era um criminoso muito agressivo) e este perguntou de Francisco, por que ele não vinha, só os outros monges. Um dos monges, mais forte e robusto, pegou o leproso e o levou no ombro até onde Francisco de Assis estava. Quando Francisco viu, ele reprovou a atitude do monge e pediu que o levasse de volta. Quando eles deram as costas, Francisco de Assis se arrependeu e, de joelhos, implorou ao leproso perdão. Francisco, em seguida, pegou uma tina com água morna e mandou os monges colocarem o leproso dentro. Pediu que um fosse recolher rosas e que o outro orasse. Colocou as pétalas de rosa e pediu a Jesus que o socorresse. Jesus se aproximou de Francisco e sussurou-lhe no ouvido que Ele estava junto dos sofredores. Francisco começou a banhar o leproso e suas feridas se fecharam instantaneamente. Ao se ver curado, o leproso chorou copiosamente e os monges lhe trouxeram uma veste rota. Naquele instante, ele se tornou um monge e acompanhava Francisco de Assis em suas peregrinações. Esse monge, entretanto, numa determinada noite, ajoelhou-se sob uma árvore num campo e rogou a Deus que lhe trouxesse de volta a lepra porque ele ainda sentia muito a agressividade dentro de si e somente a doença poderia lhe frear os impulsos doentios de violência. Ele chorava copiosamente e assim dormiu. Quando amanheceu, viu seu corpo exatamente como estava antes da cura, cheio de chagas e feridas purulentas. Ele sorriu e agradeceu aos céus. Voltou para o leprosário e conviveu em paz com todos os que o cercavam até a sua morte, poucos anos depois.
      Como podes ver, uma doença grave pode ser a cura do espírito. Devido à falta de fé no futuro e crença na lei de causa e efeito, as pessoas se revoltam e tornam o momento pior, quando deveriam agradecer por tal oportunidade.

  2. Nossa gostaria q certa pessoa lesse isso.
    Só que cada um tem seu momento de despertar…
    O livre arbitrio deve ser respeitado, é a Lei, assim como o plantio é livre e a colheita é obrigatória.

    ” Ouça quem ouvidos para ouvir.”

    Obrigada por sempre nos dar uma luz.

    Abraços.

  3. creio que o alivio do peso depende do que fazemos para ele ser aliviado
    com Jesus nosso fardo torna-se bem mais leve
    e a travessia bem mais facil de suportar

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: